Horto Florestal, 20 de Maio de 2021

O olhar empodera o que se vê. No olhar renasce um ser vivo, cheio de entusiamo , que nos preenche ao buscarmos e querermos ser preenchidos do Receber, apenas estar onde estamos e como uma bússola, nos orientar ao que nos chama atenção, seguindo nossa intuição e muitas vezes sendo levados no encantamento!

Fica Bem!

Ass: Eli

Corredores de Luminosidade

Quando é  para ser e parecer com algo concreto e nítido  como nosso olhar ao novo , ao nosso grande e Belo Ego.

Diretrizes são traçadas  , grandes cargas elétricas são despejadas e são atingidas nos corredores de luminosidade da pequena sensação do que está por vir!

Fica bem!

Ass: Eli

Mas para que perceber se não pode fazer!

Eu sei que podem ter grandes potenciais a ser ativados, uma sequência de bem feitorias que pregam por assimilar o Sol no seu grande toque de calor.

Mas para que perceber se não pode fazer .

Parece que tudo realmente tem um processo , caramba, que vazio nessa paciência que não cessa de querer entrar.

Fica bem,

Ass: Eli

Sinais que pesam a nossa Atenção

Pontos te permitem ir, avaliar, conectar com várias outras relações de alegria, entusiasmo do que se pode no momento.

Isso que se sente traz a você uma bússola do que permeia seu caminho.

Começam então os símbolos e sinais que pesam a nossa atenção, sempre que queremos o contrário.

Fica bem,

Ass: Eli

Singela leveza de se permitir ir

Essas poesias me posicionam a andar e crescer no meu mais novo veículo de expressão, a dor.

Como a dor te faz sair de um limite e encontrar outros caminhos a se transformarem em flores imensas, intensas, cheirosas no seu balançar, da singela leveza de se permiti ir.

Fica bem,

Ass: Eli

Redemoinho da Eficácia do Ser Agora

Permanência do êxtase da verdade não dita.

Quero e não quero, permito e não permito, vôo e não vôo, questiono e não questiono.

Grandes alcances de energia, como nuvens descendo do céu como chuva, embebecendo o véu da ruptura do doar- se ao nu de si, balançando no redemoinho da eficácia do Ser Agora.

Fica bem!

Ass: Eli

Ouvindo Bolero de Ravel

Na leveza dessa dança se dá a mais nobre das realidades dos caminhos puros, sem misturas, sem pressões. Os pontos se abrem para receber toda suntuosidade que impacta no seu adentrar, com pedrarias em sua roupa e grandes plumas para assegurar a maciez de uma Vida cheia de percalços.

A entrada é triunfal porém leve e destemida, local de veslumbre das arvores que vão passando e passando a cada olhar do ir de pressa para enxergar e olhar o caminho.

Quantos são os caminhos, um outro possível trecho a desvendar sozinho, com sua perseverança em se perceber em tudo isso.

Fica bem,

Eli

Apenas nos Movimenta!

As frases saem e brotam na minha mente  como um mar revolto, querendo se pronunciar sem ser visto, querendo ser ouvido sem pertencer, mas de Todo o barulho das ondas que batem nas pedras , a de se ouvir a Plenitude  de um minuto  de Grandes Possibilidades!

Pode- se sentir a partir daí a noção  do que está por vir e do que está a nossa frente,  grande ou pequena e nítida presença  da onda que nos projeta para o sim ou para o não, apenas nos Movimenta!

Borbulhante de Tanto Oxigênio…

Participar de uma questão que nos erga ao nosso Estado de Boa Vibração requer muita sensibilidade e Fé, sentir o que se quer de verdade em cada Momento que a Vida Brinda com sua champanhe borbulhante de tanto oxigênio, requintado no mais puro escuro e frio , da terra que nasce tantas flores para observarmos e nos enchemos de Sentindo!

Fica Bem!

Ass: Eli

“de Longe o que de perto nos Assusta.”

Pensar no seu existir mais amplo, no que te faz bem, no que te fortalece, no que você quer que aconteça de verdade.

Ah verdade… Como você é cruel… Realidade estampada na nossa cara de tantos fatos que já bateram na sua cara tão sutilmente.

Quanta presença , quanto conhecer, precisa para se movimentar e ir rumo ao seu destino, aquele lugar que você tanto busca e que o tempo todo esta no seu alcance.

Conforme olhamos , observamos de longe o que de perto nos assusta.

Mas vamos seguindo, se ate agora estamos vivos, continuaremos sobrevivendo a mais ventos.

Fica Bem,

Eli